SIGA POR E-MAIL

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

UBER TEM MAIS UM DIREITO RECONHECIDO VIA ARBITRAGEM,SEM POLITICAGEM.

Somente para registrar o fato, postaremos o print  da tela de aviso da Association for International Arbitration,um grupo especializado no Linkedin .
Basta observar e tomar ciência de como são a s leis de mercado das quais a Arbitragem é parte integrante sem conotações ideológicas nem políticas.
Arbitragem é o foro onde conflitos de interesses materiais são tratados com a devida vênia, sob total visão técnica e empresarial. Assim há direitos verdadeiramente reconhecidos e equitativamente colocados. Acreditem !



Juíz Togado diz:"Questões tributárias devem ser submetidas a árbitros"

Vários são os sites que nos trazem notícias interessantes sobre como pensam e podem influir nos desígnios da atividade arbitral, da utilização da arbitragem no cotidiano do Brasil os formadores de opinião no meio jurídico.
Alvissareiro o artigo do juiz federal na 5ª região, Bianor Arruda Bezerra Neto,doutor pela PUC/SP  e  professor no Instituto Brasileiro de Estudos Tributários-Ibet, passsamos a apresentá-los.

Aqui sugerimos a leitura dos artigos do douto juiz porque corroboram toda a doutrina emanada do SINDJABRASIL e ratifica as posições por nós assumidas desde a nossa fundação bem como as nossas ações treinando,capacitando pessoal para essa finalidade de ajudar a modernizar a brutal cobrança de tributos, no caso mais concreto do SINDJABRASIL pelos municípios, por governos poderes executivos.
Siga os links e aprecie este nicho de mercado sob a mesma ótica do SINDJABRASIL e do autor do artigo, professor Bianor Arruda Bezerra Neto.

Dois links :

https://www.conjur.com.br/2017-nov-13/bianor-arruda-questoes-tributarias-submetidas-arbitros#author 

https://www.conjur.com.br/2017-nov-01/bianor-arruda-nao-obice-normativo-impeca-arbitragem-tributaria

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

NOVIDADE NA INTEGRAÇÃO ENTRE JUDICIÁRIO E ATIVIDADE JULGADORA PRIVADA

Há  anos que o SINDJABRASIL ensina que  é necessária a coexistência inteligente e pacífica entre os poderes públicos da república  e a atividade totalmente privada da arbitragem, com ou sem viés de  meras “conciliação” ou “mediação” como vêm sendo adotadas no âmbito dos  órgãos públicos, tendo para tanto, o lobby público trabalhado com algumas mexidas na lei 9.307/96,inclusão no de algumas exigências ,a título de celeridade, no mais recente  Código de Processo Civil adotado no Brasil e  promulgação de leis quase cópias da original e quase perfeita lei 9307/96 buscando criar  as ditas “mediação”  e “conciliação” visando assentarem-se os interesses surgidos com o advento da reintrodução da Arbitragem no arcabouço jurídico do Brasil. Para quem não sabe, arbitragem já existia na Constituição do Império do Brasil do ano de 1824 , a qual previa o uso da arbitragem, até mesmo, em questões criminais.
Dando prosseguimento e visando demonstrar ao brasileiro que arbitragem denominada de "conciliação" no Poder Judiciário, o qual não poderia perder cerca de 60% dos processos que por lá transitam e são de matéria relativa a bens patrimoniais disponíveis,  assim como no âmbito administrativo utilizam a denominação de "mediação" ,bem como, no afã de manterem a arrecadação que tem parte destinada à OAB, além de manterem ocupados os cargos de magistratura e ampliando suas adaptações, criando cargos de "conciliadores" na maioria dos estados e em alguns até o de "Juiz Leigo" este já privativo de bacharéis em direito, nesta postagem o SINDJABRASIL  apresenta a introdução à novidade que lerão à seguir, a qual tem sua publicação original no site especializado em material jurídico cujo link está disponibilizado  à seguir. Vamos acompanhar a evolução desta “Novidade”! 
SINDJABRASIL deseja que este caso, isolado, sirva de exemplo. Leiam !


"INICIATIVA PIONEIRA

Câmara privada fará mediação on-line durante semana de conciliação


Pela primeira vez uma câmara privada de mediação cadastrada no Tribunal de Justiça de São Paulo, a Juspro, participará da XII Semana Nacional de Conciliação, que acontece entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro em todos os TJs do país.



XII Semana Nacional de Conciliação acontece entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro em todos os TJs do país.
123RF

As audiências promovidas pela Juspro serão on-line, por meio de videoconferência, sempre com mediador habilitado pelo TJ-SP. A câmara privada já vem oferecendo esse tipo de mediação há mais de um ano, e a medida tem sido bem recebida pelos usuários, segundo o desembargador aposentado José Roberto Neves Amorim, sócio da Juspro."
O link da postagem original:
https://www.conjur.com.br/2017-nov-11/camara-privada-mediacao-on-line-durante-semana-conciliacao