SIGA POR E-MAIL

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

ADVOGADO ACUSADO DE PEDOFILO PELA FILHA !!!!

O SINDJA sente-se na obrigação de defender as categorias que representa e um dos pontos que se faz necessário,diante dos ataques bastante intencionais que sofre a categoria dos juizes arbitrais por causa de uns poucos é este.O sindicato decidiu não mais perder oportunidade para publicar,também,sobre o mau caráter de muitos advogados,sem, contudo,generalizar e nem criar neologismos que defecariam  toda a categoria dos advogados como ja fizeram com a de Mediadores,Conciliadores,Juizes Arbitrais.
O pior de tudo é que quem denigre, combate, comete "bullying" sobre os juizes arbitrais,também diz viver de arbitragem.
Os romanos diziam: Mens Sana, Corpore Sano. Aqui dizemos: Corpore Sano,Mens Insane!
Infelizmente,em todo rebanho há ovelhas malhadas.Mas há sempre um querendo jogar pedra no telhado alehio para poder estar em evidencia.No "vale tudo",a regra é bater para aparecer.
Na arbitragem tem os que praticam a tal picarbitragem e na advocacia tem os que praticam estelionato,pedofilia,atentado contra o pudor,estupro,apropriação indébita,etc.
Como chamaremos ou denominaremos isto ?
O SINDJA espera a colaboração de todos os que labutam na arbitragem e a defendem,para adjetivarmos esse tipo de profissional, para que não seja confundido com nobres advogados.
A Tv Globo publicou hoje isto que ai está dito e com o link
 para acesso:
Edição do dia 28/09/2011  http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/09/jovem-acusa-o-pai-de-ter-abusado-sexualmente-dela-durante-oito-anos.html

28/09/2011 14h17 - Atualizado em 28/09/2011 14h17

Jovem acusa o pai de ter abusado sexualmente dela durante oito anos

A estudante de direito é a filha mais velha de uma família de classe média alta de Bauru.
 Sandro Luiz Fernandes já foi integrante da Comissão dos Direitos Humanos da OAB.
Ao que pudemos saber, o Dr.Sandro Luiz Fernandes,demonstra gostar de um " Cruzeiro Maritimo",boa vida e  tem mais de um perfil no Facebook.Em um deles a foto parece,ao comparar-se com a imagem dele publicada no Jornal Hoje da Tv Globo, ser esta abaixo:


Patrícia Falcoski Bauru, SP

A estudante de direito é a filha mais velha de uma família de classe média alta de Bauru. A jovem de 18 anos fez a denúncia à polícia depois de saber que a prima e a tia também sofreram constrangimentos. Para a polícia, o caso é de atentado violento ao pudor.
Em entrevista ao Jornal Hoje ela conta que foi abusada pelo pai dos oito aos 16 anos. “Quem faz esse tipo de coisa não é pai é um monstro, eu tenho nojo dele, eu tenho nojo. Eu sei muito bem dos meus direitos, eu sei que o que ele fez é errado, eu como pessoa não tenho como levar isso, esse trauma na minha vida, eu não vou ser uma pessoa feliz”.
A jovem conta que pediu ajuda para a mãe, mas não foi atendida. “Com uns 11 anos, eu contei pra minha mãe, eu contei isso tudo que acontecia, minha mãe simplesmente falou que ia conversar com ele para dar uma chance”.
“Eu não quero ser igual a minha mãe e fingir que nada aconteceu, eu quero tomar uma atitude, ser honesta comigo mesma, eu quero mostrar pra todos quem ele é”.
O suspeito, Sandro Luiz Fernandes, já foi integrante da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil. Hoje é diretor jurídico dos sindicatos dos bancários e dos servidores públicos municipais na região de Bauru.
Uma sobrinha, hoje com 13 anos, e uma cunhada, com 18 anos, também acusam o advogado de abusos durante a infância.
Quando as vítimas ficaram sabendo que tinham sofrido os mesmos abusos, decidiram procurar a Delegacia da Mulher. As três prestaram depoimento e o boletim de ocorrência foi registrado como atentado violento ao pudor. "Não houve conjunção carnal, houve outros atos de libidinagem", Priscilla Bianchini Alferes, delegada.
O advogado de Sandro disse que o cliente ficou sabendo das acusações durante uma viagem ao exterior, vai se apresentar e prestar todos os esclarecimentos. “Nós estivemos tomando o formal conhecimento das acusações, até então tínhamos sido surpreendidos pela mídia tanto quanto o doutor Sandro e estamos passando para ele quais são as reais acusações e com base nisso, ele tem interesse, já se predispôs a autoridade policial, a estar comparecendo espontaneamente e estar a disposição da justiça para prestar a versão deles dos fatos e esclarecer o hipotético mal entendido”, declara Hélio Marcos Pereira Júnior, advogado.
Nesta manhã, a delegada que investiga o caso, decidiu ouvir o depoimento do filho mais novo do advogado. Um menino de nove anos que também teria sofrido abusos do pai. Diante de mais essa suspeita, a polícia poderá pedir novamente a prisão temporária do advogado.
A Justiça determinou que o advogado Sandro Luiz Fernandes fique no mínimo a cem metros de distância da filha. Por decisão da Justiça, ele não pode voltar pra casa em que mora com a família nem ter contato com as vítimas e testemunhas dos supostos crimes
A OAB e o sindicato dos servidores municipais vão aguardar a conclusão das investigações. O sindicato dos bancários da região de Bauru não se posicionou sobre o caso.
___________________________________________________________________________________
Ao que indica a matéria da TV Globo a foto do Dr. Sandro Luiz Fernandes é essa abaixo:


Jornal Diário de São Paulo publica os histórico sobre o advogado acusado pela filha que é academica de direito!
Leia à seguir:
A Delegacia da Mulher de Bauru, a 326 quilômetros de São Paulo, pediu à Justiça a prisão de um advogado da cidade investigado por abusar sexualmente de três meninas da sua família.
Sandro Fernandes foi candidato a prefeito de Bauru pelo PSTU nas eleições de 2004 e tentou por duas vezes, 2000 e 2008, uma vaga na Câmara de Vereadores. Na última vez foi o nono candidato mais votado (2.519 votos), mas perdeu por conta do PSTU não ter atingido o número mínimo de votos.

Atualmente, ele é dono de um conceituado escritório de advocacia e trabalha para os sindicatos dos Servidores Público Municipais e dos Bancários.

Ontem, a delegada Priscila Bianchini Alferes pediu a prisão temporária de Sandro por 30 dias. A promotoria já deferiu a solicitação. Hoje, o juiz responsável pelo caso deverá dar a palavra final.

Sandro estava em férias na Europa, mas chegou ontem ao Brasil. Até o fechamento desta edição ele ainda não tinha se apresentado à polícia para prestar depoimento. Caso a prisão seja decretada, ele será automaticamente considerado foragido da Justiça.

De acordo com a denúncia, o advogado teria mantido contatos íntimos com três meninas, uma que hoje tem 14 anos e outras duas que estão com 18. As três são da mesma família e denunciaram o acusado no início deste mês.

Uma delas teria sofrido abusos dos 8 aos 16 anos. A mãe dela teria conhecimento dos fatos, mas nunca denunciou Sandro à polícia. A decisão de procurar ajuda foi tomada agora por conta da viagem dele à Europa.

Ontem à noite, Sandro falou com o DIÁRIO pelo telefone, mas se recusou a comentar as acusações. Ele disse que ainda estava em São Paulo e se limitou a responder que vai hoje a Bauru para prestar os esclarecimentos necessários à Justiça. Ele disse haver "interesses nesse caso", sem explicar sobre o que estava falando.

QUEM TEM AUTORIDADE ?


O SINDJA cumpre com suas obrigações quando denuncia ou ajuda denunciar maus profissionais que passeiam pela arbitragem fazendo o que não devem.
Do mesmo modo, ajuda a divulgar o lixo que anda por baixo dos tapetes dos salões do poder judiciário e de outras instituições.
Os laborantes da arbitragem, que o fazem com seriedade,dedicação vocacional irretocável, sofrem quando aparecem artigos falando em "picarbitragem".Há necessidade da denúncia de fatos errados,de atos mal feitos e principalmente do banimento dos autores de tais atos dos meios profissionais onde acontecem.
Por esta razão,publicamos a entrevista da ministra Eliana Calmon hoje presidenta do CNJ e vivendo estado de guerra ccom alguns de seus pares que se acham "deuses".tudo por causa da picaretagem no poder judiciário.
Como aqui no SINDJA não há nenhum filologo ou linguista,nenhum neologismo será criado para definir  sucintamente as safadezas das quais se queixa a Ministra presidenta do CNJ.Vamos apenas publicar a sua entrevista ao conceituado Folha de São Paulo,deixanddo por cconta dos leitores,nossos assiduos internautas labutantes na arbitragem-direito arbitral-, que façam suas conjecturas e tirem suas conclusões com a mesma coragem com que o SINDJA atua desde a sua fundação,não se importando se incomoda este ou aquele.
No próximo post mostraremos outro assunto semelhante.
Aos nossos associados,aso leitores que por aqui passam, aos juizes arbitrais cadastrados no SINDJA  e á toda a comunidade que de fato trabalha com arbitragem e tem curriculum e não prontuário policial, solicitamos que,por favor,divulguem este post.
So merece respeito quem se dá ao respeito!
Hoje a Ministra Eliana Calmon corta na própria carna. O SINDJA já fez isto por diversas vezes!

Justiça Sofre com "Bandidos de Toga" diz CNJ

28 de setembro de 2011-Matéria transladada do Jornal Folha de São Paulo.




Ministra Eliana Calmon atacou iniciativa de juízes de reduzir poder do conselho que fiscaliza o Judiciário

A corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, fez duros ataques a seus pares ao criticar a iniciativa de uma entidade de juízes de tentar reduzir o poder de investigação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

"Acho que é o primeiro caminho para a impunidade da magistratura, que hoje está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga", declarou em entrevista à APJ (Associação Paulista de Jornais).

O STF (Supremo Tribunal Federal) deve julgar hoje (28) ação proposta pela AMB (Associação dos Magistrados do Brasil) restringindo poder de fiscalização do CNJ.

A associação pede que o CNJ só atue depois de esgotados os trabalhos das corregedorias regionais.

Na entrevista, Eliana Calmon criticou a resistência dos tribunais a serem fiscalizados pelo CNJ, citando o Tribunal de Justiça de São Paulo:

"Sabe que dia eu vou inspecionar São Paulo? No dia em que o sargento Garcia prender o Zorro. É um Tribunal de Justiça fechado, refratário a qualquer ação do CNJ" , disse a corregedora.

Nos últimos dias, acusados de irregularidades tentaram evitar seus respectivos julgamentos antes de o STF se pronunciar sobre o CNJ.

O conselho, por sua vez, incluiu em sua pauta de discussão 11 processos que podem punir magistrados por conduta irregular.

Se somados, o CNJ terá mais de 20 casos de juízes investigados na pauta de julgamento neste mês.

Este ano, houve uma guerra velada que colocou em lados opostos Eliana Calmon e o presidente do CNJ e do STF, ministro Cezar Peluso.

O conselho começou a funcionar em 2005 e já condenou 49 magistrados. Recentemente, porém, ministros do Supremo concederam liminares suspendendo decisões do CNJ que determinavam o afastamento de magistrados.

Zveiter – Na segunda-feira (26), o CNJ adiou o julgamento do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio, Luiz Zveiter.

Segundo Eliana Calmon, o adiamento aconteceu a pedido do advogado de Zveiter, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos, que está fora do país.

As supostas irregularidades ocorreram no ano passado, quando Zveiter era presidente do Tribunal de Justiça.

O caso foi a plenário em fevereiro, quando três conselheiros foram favoráveis ao afastamento e à abertura de processo disciplinar. Saiu da pauta para análise de suspeição de dois conselheiros.

Segundo a corregedoria, há indícios de que informações prestadas por Zveiter beneficiaram a construtora RJZ Cyrela, cliente do escritório de parentes seus. Zveiter, o escritório e a Cyrela afirmam que o terreno em disputa não tem relação com empreendimentos da construtora.

(Folha de S. Paulo)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NOTAS LANÇADAS NO FACEBOOK

Há alguns blogs e sites qu prestam um verdadeiro desserviço à arbitragem e aos bons e sérios profissionais da área.Estejam bastante atentos todos os interessados em arbitragem porque no Brasil há uma disputa de "poder" para ver quem é que vai ser tido como "autoridade" em arbitragem.Há muitos lobos disfarçados de bons moços que so escrevem besteirol,na verdade questionando a si mesmo: Por Que não fui eu o criador do SINDJA???!!!
É bem verdade que elementos que sequer sabem escrever corretamente mas querem ser " doutor" , se metem a fazer besteiras em nome da arbitragem e abrem espaço para que outro tipo de erpertalhões insultem os juizes arbitrais verdadeiramente nobres e que trabalham.
Todos os scripts contra as expressões "Juiz Arbitral" e /ou "Tribunal Arbitral" para designar uma instituição arbitral são fruto da submissão de alguns profissionais a uma banda do poder judiciário e ministério público, dos quais são dependentes e/ou achincalham porque desejam a posse e dominio do SINDJA.São os tais que, se pudessem tornariam "privativo de..." como os advogados fizeram contra os ex juizes classistas na justiça do trabalho.
O SINDJA reconhece e até mesmo aponta os descalabros que alguns maus elementos aprontam usando o nome da arbitragem e a lei 9.307/96.Muitas foram as vezes em que o SINDJA se viu obrigado a responder consultas que lhe foram feitas por pessoas lesadas com promessas de ganhos,emprego,estágio e a tal carteira de juiz e ao responder enviou cópia ao ministério público e secretaria de segurança de vários estados, principalmente Brasília onde muitos ja receberam resposta ás suas más ações em nome da arbitragem que é coisa seríssima!